• A motricidade do corpo-próprio em Merleau-Ponty
    Prometeus: Filosofia em Revista 2 (4). 2009.
    A reflexão seguinte nos levará à percepção da subjetivação como sendo um processo. Apessoa, portanto, não é somente um ser vivo, mas alguém em vida. Isto equivale a dizer que osujeito ultrapassa seu comportamento por uma representação, que cria uma interioridade. Emconseqüência disso, o sujeito produz um enriquecimento do sentido de ser homem. Há umdescobrimento de si como criação de uma autonomia por ele mesmo em referência ao mundo.